Thayssa Roriz
Introdução Alimentar - bebê vegerariano

Introdução alimentar para bebês vegetarianos.

Uma dieta sem derivados animais pode ser saudável em qualquer fase da vida, inclusive na infância, sendo assim, possível uma introdução alimentar para bebês vegetarianos e veganos de forma equilibrada.

Acredite, seu bebê pode sim, ser vegetariano. Continue a leitura para entender mais sobre esse assunto.

Antes de tudo, vamos entender as nomenclaturas das dietas vegetarianas:

A alimentação vegetariana exclui todos os tipos de carne, aves e peixes e seus derivados, podendo ou não utilizar laticínios ou ovos, de forma que podemos classificar da seguinte forma:

  • Ovolactovegetariana – é alimentação que utiliza ovos, leite e laticínios;
  • Lactovegetariana – é a alimentação que não utiliza ovos, mas faz uso de leite e laticínios;
  • Ovovegetariana – é a alimentação que não utiliza laticínios mas usa ovos;
  • Vegetariana estrita – é a alimentação que não utiliza nenhum derivado animal como mel, ovos, leite e derivados e etc;
  • Vegano – é o indivíduo vegetariano estrito que recusa o uso de componentes animais não
    alimentícios, como vestimentas de couro, lã e seda, assim como produtos testados em animais.

A introdução alimentar para bebês vegetarianos

A introdução alimentar é um período muito importante para o desenvolvimento do bebê de forma que os hábitos adquiridos nessa fase irão influenciar diretamente na saúde futura e principalmente, na relação dele com a comida.

É natural o bebê se interessar pelos alimentos que os cuidadores, principalmente os pais, estão comendo e por isso, quando a família não consome carnes ou outros derivados animais, o bebê terá menor interesse e curiosidade por eles também.

Isso porque, bebês em início da introdução alimentar, comem pela curiosidade e por imitação.

Agora, o que você deve estar se perguntando é: como fazer com a introdução alimentar para bebês vegetarianos, de forma que as refeições forneçam todos os nutrientes que eles precisam, certo? Continue a leitura para saber mais sobre o assunto.

O que oferecer na introdução alimentar para bebês vegetarianos?

Veja este vídeo que separei para você e aprenda a montar pratinhos verdadeiramente nutritivos

Os nutrientes habitualmente fornecidos pelas carnes e outros derivados animais (proteína, ferro, vitaminas do complexo B…) não são substituídos por um único alimento.

Uma alimentação rica em frutas, verduras, cereais e leguminosas atende às demandas do organismo – com exceção da vitamina B12 – sem a necessidade de consumo animal.

Uma ótima combinação em termos de proteína + aminoácidos é: o tradicional prato brasileiro – arroz com feijão.

As leguminosas, no geral, são excelentes fontes de proteínas e ferro. As leguminosas incluem:

  • Grão de bico;
  • Lentilhas;
  • Ervilhas;
  • Soja;
  • Todos os tipos de feijões.

Percebe como a alimentação vegetariana é abrangente e os derivados animais não fazem falta nutricionalmente?

Para que você possa entender melhor, e não ter mais dúvidas em como fazer a introdução alimentar para bebês vegetarianos, continue a leitura para conferir um resumo de como podem ser todas as refeições.

Como ficam as refeições na Introdução Alimentar para bebês vegetarianos?

Café da manhã

É a primeira refeição de sólidos do dia (para alguns bebês, a primeira refeição é o leite materno ou fórmula). Sendo assim, é interessante que contenha:

  • Cereais: pães caseiros integrais, cuscuz de milho, torradinhas, panquecas sem açúcar, batata doce…
  • Proteína vegetal: tofu, homus de grão de bico…
  • Frutas: que são ótimas fontes de fibras, vitaminas e minerais.

Lanchinhos intermediários

Quando a rotina do bebê já permite incluir os lanchinhos intermediários, o ideal é que sejam compostos por frutas ou oleaginosas, oferecidas de forma adequada (como no caso do amendoim, que no começo pode ser oferecido em forma de farinha, adicionado à algum outro alimento ou preparação).

Grandes refeições – Almoço e jantar

As grandes refeições são ótimas oportunidades para oferecer ao bebê, combinações maiores de alimentos ricos em ferro e estratégias para melhorar a absorção desse nutriente. Isso porque as maiores fontes do mineral estão nas leguminosas (todos os tipos de feijões, lentilhas, ervilhas, grão de bico, dentre outros) e vegetais verde-escuros (brócolis, couve, agrião, dentre outros).

Além disso, o almoço e jantar pode oferecer uma maior quantidade de proteínas vegetais e gorduras boas.

Portanto, o ideal é que o pratinho do bebê vegetariano seja montado da seguinte forma:

  • 1/3 do prato de leguminosas: todos os tipos de feijão, grão-de-bico, lentilha- ervilha…
  • 1/3 do prato de legumes e verduras: abobrinha, chuchu, quiabo, maxixe, couve-flor, brócolis, aspargo, aipo, repolho, acelga, beterraba, cenoura, nabo, rabanete, jiló, pimentões, pepino, etc…
  • 1/3 do prato de cereais, raízes e grãos: quinoa, abóbora, milho, batatas, mandioca, inhame, cará, todos os tipos de arroz, macarrão…
  • Finalize o prato com azeite extra virgem para fornecer uma boa fonte de gorduras;
  • Fruta rica em vitamina C (para ajudar na absorção do ferro): goiaba, laranja, mexerica, acerola…

Na introdução alimentar para bebês vegetarianos, é preciso suplementar?

Como dito, é possível conduzir uma Introdução Alimentar para bebês vegetarianos de forma saudável e em relação à suplementação, no primeiro ano de vida, a recomendação é a mesma para o bebê onívoro, não há necessidade de aumentar nenhuma dose dos suplementos habituais.

O único nutriente que merece maior atenção, é a vitamina B12.

Portanto, é necessário acompanhamento com nutricionista especializada para a orientação e prescrição individualizada da suplementação, levando em consideração, dentre outros, a idade e alimentação do bebê.

Conclusão

A Introdução Alimentar para bebês vegetarianos é extremamente possível e saudável, desde que, assim como para os bebês onívoros, seja uma alimentação equilibrada e diversificada.

Tem alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários. Será um prazer responder.

Thayssa Roriz - Introdução Alimentar e Nutrição Infantil

Thayssa Roriz

Formada em nutrição, mãe do Cadu e da Cora, apaixonada pelo poder da transformação de uma introdução alimentar bem conduzida.

Gostou? Ajude esse post a chegar a mais famílias.

Você também pode gostar.

Deixe seu comentário ou dúvida aqui.